Janeiro Roxo: encontros nas Unidades de Saúde orientam população sobre a hanseníase

Notícias

Durante todo o mês de janeiro diversos encontros e ações acontecem nas Unidades Básicas de Saúde pela campanha “Janeiro Roxo”, com o objetivo de alertar a população itupevense sobre hanseníase.

Entre os principais sinais desta enfermidade estão as manchas brancas e avermelhadas na pele, juntamente com a perda de sensibilidade, conforme explica a coordenadora da Atenção Básica, Dulce Mara. “Essa é uma doença milenar e é importante chamar a atenção da população para a doença. Muitas pessoas acham que não existe mais, mas pelo contrário, ela existe e é preciso buscar tratamento”, disse ela.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil possui a maior incidência de hanseníase no mundo e no total de casos é superado apenas pela Índia. Em 2016, no Brasil foram noticiados 25.218 casos novos, perfazendo uma taxa de detecção de 12,2/100 mil habitantes. Esses parâmetros classificam o país como de alta carga para a doença, sendo o segundo com o maior número de casos novos registrados no mundo.

A doença - É infecciosa, contagiosa, causada pelo bacilo de Hansen (Mycobacterium leprae). Uma pessoa doente que apresenta a forma infectante da doença (multibacilar – MB), estando sem tratamento, elimina o bacilo pelas vias respiratórias (secreções nasais, tosses, espirros), podendo assim transmiti-lo para outras pessoas suscetíveis.

O tratamento para hanseníase é gratuito e oferecido na rede básica do Sistema Único de Saúde (SUS). A população que tiver alguma dúvida sobre o assunto poderá comparecer na Unidade de Saúde mais próxima à sua residência e buscar auxílio de um profissional.

Hanseniase