Primeiro passo para a matrícula dos imóveis do Jardim Cristiane e Guiomar foi dado nessa sexta (12)

Notícias

Uma ação realizada nessa sexta (12) no Jardim Cristiane teve como objetivo fazer o levantamento cadastral dos moradores desse bairro e, também, do Jardim Guiomar. Agora, as informações serão analisadas e colocadas em uma planilha pelo corpo técnico da Prefeitura. Após isso, as informações serão entregues para os responsáveis pelo programa Cidade Legal, do Governo do Estado, para emitir as matrículas dos imóveis.

“Mais de 400 famílias serão beneficiadas com esse programa que conquistamos para Itupeva. A documentação do imóvel é a garantia de que aquilo é realmente da pessoa. Fazer isso em prol da população e responsabilidade do poder público”, comentou o prefeito Marcão Marchi.

O atendimento aconteceu das 15h às 20h e cerca de 50 servidores foram destinados para esta ação, que também contou com brincadeiras para crianças, orientações da saúde, entrega de mudas de plantas e corte de cabelo.

“Achei interessante a ação. Talvez se a gente fizesse por conta própria teríamos que gastar um bom dinheiro”, disse Elisabete Ducati, do Jardim Cristiane.

“Para nós é uma vitória, já que estamos irregulares há mais de 20 anos. Uma sensação de dever cumprido”, afirmou Fátima Paz, do Jardim Cristiane.

“Agora tenho fé que essa ação vai dar certo, já que outras pessoas prometeram anos atrás para gente, mas nunca deu em nada. É um alívio saber que vou ter meus documentos em mãos. Será uma preocupação a menos”, explicou Vera Lúcia Gomes, do Jardim Cristiane.

Mas e quem não participou? Quem não compareceu à ação, pode levar os documentos na Secretaria de Desenvolvimento Urbano, que está localizada no Paço Municipal, das 8h às 15h.

"Como relatado por uma moradora essa é uma promessa de 20 anos que nunca deu em nada. Acreditamos ser este o motivo por qual muitos moradores não fizeram seu recadastramento. Abriremos um prazo de 10 dias para os moradores procurarem a Prefeitura e realizaram o recadastramento", explicou Márcia Mendes, secretaria de Desenvolvimento Urbano.

É preciso apresentar a capa do IPTU; RG e CPF de cada proprietário/possuidor e seu cônjuge (não pode ser carteira de habilitação); Cartão do CNPJ (se for pessoa jurídica); comprovante de renda (de todos os proprietários/possuidores do imóvel, inclusive comprovante de renda de aposentadorias, pensões e demais benefícios formais ou informais); comprovante de endereço do imóvel e do local para recebimento de correspondências; documentos do imóvel (escritura ou contratos de compra e venda, compromisso de venda e compra, contrato de cessão de direitos, recibos de compra, contrato de doação, contrato de locação, contrato de comodato ou outros); certidão de casamento/nascimento ou declaração de união estável (se separado ou divorciado, deverá constar a competente averbação) e atestado de óbito (se viúvo).